quinta-feira, 17 de setembro de 2020

A 17 de Setembro, mas de 1511 com a Bula «Ad Statum Prosperum» o Papa Júlio II aprovava a Regra das Monjas da Imaculada Conceição da Bem-aventurada Virgem Santa Maria.

Celebramos o jubiloso 509º aniversário deste acontecimento elevando ao Céu um gozoso “Magnificat”.

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

HACERSE UN SOLO ESPÍRITU 

CON CRISTO ESPOSO MEDIANTE EL AMOR

Me llamo Sor Maria Dina do Imaculado Coração de Maria, tengo 31 años, soy de Vila Franca de Xira, una ciudad cerca de Lisboa.

He celebrado mi Profesión Temporal el día 29 de agosto con mucha alegría y paz. Aunque todavía vivamos este delicado tiempo de pandemia, tuve la gracia de estar acompañada este día tan importante de mi vida de mis padres, mi hermana, algunos hermanos y amigos que me han ayudado a lo largo de mi camino como bautizada y en la búsqueda de la voluntad de Dios para mi vida. Han participado igualmente algunos sacerdotes que han sido instrumentos de Dios para descubrir su plan de Amor sobre mí.

Esta celebración fue consecuencia del amor gratuito de Dios que, por su infinita misericordia, me ha llamado y elegido para ser Su esposa. He podido experimentar a lo largo de mi vida, y en especial en los últimos tres años, que sin Él no puedo hacer nada y solo con Su gracia será posible hacer Su voluntad.

El Señor me ha mostrado que la verdadera felicidad está en vivir en su presencia, en buscar continuamente la comunión con Él. He buscado la felicidad en muchas cosas pero solo en Él y en su designio de amor la encontré. Percibí que mi deseo de felicidad coincide perfectamente con el deseo de santidad que Dios tiene para mí y para todo el ser humano.

El Señor me ha llenado y trabajado con Su amor paciente y misericordioso, para que a través de mí pueda llegar a toda la humanidad y esta reconozca que la salvación solo viene de Jesucristo y así pueda tener vida y vida en abundancia.

Me entrego al Inmaculado Corazón de María, que es mi refugio y el camino que me llevará a Dios.

Sor Maria Dina do Imaculado Coração de Maria oic

Monasterio de Campo Maior

domingo, 30 de agosto de 2020

PROFISSÃO TEMPORÁRIA DE VOTOS MONÁSTICOS

DE SOR MARIA DINA DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA OIC

NO MOSTEIRO DA IMACULADA CONCEIÇÃO em CAMPO MAIOR


A Comunidade das Monjas Contemplativas do Mosteiro da Imaculada Conceição de Campo Maior celebrou na manhã de ontem, dia 29 de Agosto, a profissão temporária de Sor Maria Dina do Imaculado Coração de Maria. Foi durante a Eucaristia presidida por D. Francisco José Senra Coelho, Arcebispo de Évora, que tiveram lugar os Ritos da Profissão dos Votos Monásticos de Obediência, Conversão de Costumes (Pobreza e Castidade) e Clausura pelo período de 3 anos.


Devido à pandemia de Covid-19, a cerimónia teve um número limitado de participantes.

No entanto a celebração pôde ser seguida através da internet, proporcionando, mesmo longe, que todos tivessem oportunidade participar neste momento tão importante para a Comunidade das Monjas Concepcionistas de Campo Maior.

quarta-feira, 25 de março de 2020

Fraternités Monastiques de Jérusalem - Voici la demeure de Dieu parmi le...



Eis aqui a morada de Deus entre os homens,
Maria terra admirável,
terra da promissão,
Mãe do Emanuel...

sexta-feira, 13 de março de 2020



HORÁRIOS DAS MISSAS NA TELEVISÃO
Atendendo ao comunicado emitido pela Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), no qual se indica que serão suspensas todas as Eucaristias no nosso país até «ser superada atual emergência», deixamos a todos as indicações de horários das Eucaristias que poderão e deverão assistir emitidas na televisão.
Assim, existem os seguintes horários e canais:
RTP 1 – Domingo às 10h30
TVI – Domingo às 11h00
TV Canção Nova (na NOS – CANAL 186 e na MEO – CANAL 182)
Dias de semana – 11h00
Sábado – 19h00
A Renascença continuará a transmitir a missa dominical todos os Domingos às 11h mas, precisamente para ir ao encontro das necessidades do seu auditório, passará a transmitir missa todos os restantes dias da Semana, às 12h, a partir da capela do grupo, em Lisboa. Para além das diferentes frequências em território nacional, pode escutar a Renascença pela internet, aqui https://rr.sapo.pt/ouvir-emissao/.
Quem desejar também poderá acompanhar as Eucaristias transmitidas em direto no site do Santuário de Fátima: https://www.fatima.pt/pt/pages/transmissoes-online.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020


Mensagem Quaresmal 2020
Sedentos de Esperança a caminho da Páscoa
1 – A Quaresma é um tempo privilegiado de conversão, pela escuta da Palavra de Deus e pelo acolhimento de catequeses mais aprofundadas, que nos recordam os grandes temas baptismais, preparando-nos de modo renovado e consciente para a vivência da Páscoa.
Este percurso exige de nós combate espiritual para crescermos nas virtudes cristãs da fé, da esperança e da caridade, e para renunciarmos ao pecado. Pede-nos igualmente um jejum medicinal, que nos fortaleça na nossa liberdade interior para dizer “Sim” e “Não” e, ao mesmo tempo, um jejum caritativo, ou seja, que leve à partilha de nós mesmos, do nosso tempo e dos nossos bens, com quem tem necessidades materiais ou da nossa presença.
Baptizados na morte e ressurreição de Cristo, somos chamados a viver segundo os critérios do Homem Novo, não seguindo meras propostas ideológicas nem uma moral abstrata, mas o testemunho de vida de Cristo, na sua obediência filial ao Pai. No tempo da Quaresma, o Povo de Deus é convidado a empreender um esforço exigente e libertador, abrindo-o ao chamamento do Senhor e da Comunidade cristã.
Privando-se pelo jejum e pela abstinência do alimento terreno, o povo santo de Deus, aprenderá a valorizar e a saborear, acima de tudo, o Pão da Palavra de Deus e da Eucaristia e os apelos vindos dos sinais dos tempos e da caridade que nos leva ao dever de partilhar os bens com os outros, como nos exorta o II Concílio do Vaticano, na sua Constituição sobre a Sagrada Liturgia, nº 110 «A penitência quaresmal deve ser também externa e social, e não só interna e individual». Por isso, orar e celebrar a Eucaristia no Tempo Quaresmal significa «percorrer, juntamente com Cristo, o itinerário da provação que pertence à Igreja e a cada ser humano; assumir mais decididamente a obediência filial ao Pai e o dom de si aos irmãos que constituem o sacrifício espiritual». Assim, renovando com o Espírito Santo os compromissos do nosso Baptismo, na noite pascal poderemos “fazer a passagem”, a Páscoa, para a vida nova de Jesus, o Senhor ressuscitado, para a glória do Pai, na unidade do Espírito.
2 – A Quaresma é por nós vivida, sob o desafio de respondermos aos apelos do Senhor dirigidos a esta Arquidiocese de Évora, edificando em nós o testemunho de vida como “Discípulos missionários da Esperança”, de modo a construirmos comunidades empenhadas em “Procurar e acolher os sedentos da esperança”.
Eis a Palavra de Jesus que nos guia no amadurecimento espiritual e crescimento pastoral: «Vinde a Mim todos vós que andais cansados e oprimidos e Eu vos aliviarei» (Mt 11, 28). Nesta perícope, Jesus põe em destaque como os mistérios do Reino, que os fariseus rejeitaram, são na verdade revelados por Ele, Filho de Deus, aos pequeninos, isto é, àqueles que os aceitam com simplicidade. Estes são os discípulos, os pobres de espírito, os fatigados e oprimidos, pelo fardo da lei e das observâncias farisaicas.
Jesus chama-os à liberdade, a uma incondicional adesão a Ele, que é o único a tornar tudo leve, pois mostra-se humilde diante de Deus e suave para com os homens.
Eis os discípulos missionários da Esperança, os que procuram e acolhem!
Os pobres, os sofredores, os marginalizados, os pequenos, os desconfiados da possibilidade do Amor, são bem-aventurados, porque encontrarão conforto e alento n’Aquele que para eles é o enviado do Pai e com eles se fez, a Ele mesmo, um deles.
Para todos nós, este é tempo de graça, pois a Quaresma é tempo favorável, Kairós de Deus! Por isso, também para nós, o Hoje de Deus nos convida a tornarmo-nos pequenos e humildes, percorrendo os caminhos da metanoia, da conversão, indo até Àquele que nos quer salvar.
O modo sincero, autêntico e coerente de actuação na caridade solidária e fraterna para com o próximo é sair da neutralidade passiva, omissa, indiferente e alheada, e comprometermo-nos em favor de todos os sós, pobres, sofredores e abandonados; no dizer do nosso querido Papa Francisco, comprometermo-nos com as periferias sociais e existenciais da Humanidade. Afinal, fazermo-nos presentes com toda a verdade das nossas vidas. É na busca desta radicalidade de verdade que o Papa nos dirige a sua mensagem para esta Quaresma, intitulada «Em nome de Cristo, suplicamo-vos: reconciliai-vos com Deus» (2 Cor 5, 20)
3 – A Quaresma propõe-nos acções concretas que testemunhem ao mundo a nossa vontade de conversão e tornem credíveis as nossas decisões de fraterna partilha, por isso, como nos anos anteriores, propomo-nos a realizar uma Renúncia Quaresmal que dedicamos a quem nos parece necessitado do sinal da nossa presença enquanto Igreja Diocesana.
No pretérito Ano Pastoral 2018-2019, enviámos a nossa Renúncia Quaresmal às Igrejas da Venezuela e de Moçambique (diocese da Beira), devido às terríveis provações com se debateram e ainda se debatem.
Agradeço a toda a Arquidiocese a oferta de vinte cinco mil euros que prontamente fizemos chegar à Cáritas Nacional para esta lhes enviar.
Neste primeiro Ano Pastoral, de um triénio dedicado à Esperança, lembro que os Consagrados estão sempre a caminho em busca do que Deus quer deles e do que os fiéis lhes pedem, por isso, o Santo Padre insiste constantemente na profecia, como elemento indispensável da vida consagrada; o «louvor que dá alegria ao povo de Deus, visão profética que revela o que canta e reza». Assim, a Vida consagrada é chamada a manter acesa a lâmpada do profetismo, tornando-se um farol para quantos estão desorientados no alto mar, uma tocha para aqueles que caminham na escuridão, uma sentinela para aqueles que não veem uma saída na vida. No coração dos Consagrados o convite do Papa Francisco deve ressoar bem alto: «Despertai o mundo! Sede testemunho de uma maneira diferente de fazer, de agir e de viver. Na Igreja, os religiosos são chamados a ser profetas, a dar testemunho de como Jesus viveu nesta terra e a proclamar como o Reino de Deus estará na sua perfeição».
Neste Ano Pastoral, convido toda a Arquidiocese a dedicar a sua Renúncia Quaresmal às duas comunidades Contemplativas Femininas presentes na nossa Arquidiocese: a Ordem da Imaculada Conceição (Monjas Concepcionistas) do Mosteiro da Imaculada Conceição em Campo Maior e a Família Monástica de Belém da Assunção da Virgem e de S. Bruno, estas ainda com o seu Mosteiro em construção na paróquia de Santo António do Couço.
Renovo a gratidão da Igreja em Évora, à Cáritas Arquidiocesana pela coordenação desta campanha nos anos anteriores, e volto a confiar-lhe esta tarefa de dinamizar e coordenar a recolha das Renúncias nesta Quaresma.
Santa e Fecunda Quaresma para todos!
Évora, 
memória litúrgica dos Santos Pastorinhos de Fátima 
e centenário da morte de Santa Jacinta Marto,
20 de fevereiro de 2020
+  Francisco José Senra Coelho, Arcebispo de Évora

terça-feira, 14 de janeiro de 2020


Morreu sor Teresinha,
monja Concepcionista do Mosteiro de Campo Maior
Hoje (14 de Janeiro), Soror MARIA TERESA DO MENINO JESUS MATOS MEIRA, natural de Campo Maior, por volta das 16h, aos 92 anos de idade e 70 como Monja da Ordem da Imaculada Conceição no Mosteiro de Campo Maior, partiu para a Casa do Pai.
As exéquias iniciarão na Igreja do Mosteiro Imaculada Conceição, pelas 15h, sob a presidência do Arcebispo de Évora. Ficando sepultada no cemitério do Mosteiro.
Paz à sua alma!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019


Natal 2019
MENSAGEM e SAUDAÇÃO 
do Arcebispo de Évora
1.Mensagem
Neste ano Pastoral de 2019-2020, celebramos o Natal do Senhor, na Alegria de nos sentirmos convocados a ser discípulos missionários da Esperança, muito concretamente, através do acolhimento e da procura dos irmãos, que sentem sede de Esperança e desejam encontrar-se com a Luz.
Sabemos que o ruído próprio da sociedade de consumo em que vivemos confunde os autênticos valores do Natal, com propostas meramente fúteis e banais, e que, por isso mesmo, nós cristãos, somos chamados a mostrar com as nossas vidas, a beleza autêntica do Natal, a sua mensagem e os seus desafios. Assim, nesta sociedade marcada por tantos desencontros, celebremos o Natal como mistério e proposta de encontro. Em Jesus, nascido em Belém, encontramos Deus feito Homem e n’Ele nos encontramos com todos os Humanos: «Glória a Deus nas Alturas e Paz na terra aos homens por Ele amados». (Lc 2, 14).
O «Verbo que Se fez carne» (Jo 1, 14) é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Eis a lição do presépio, o «Evangelho vivo» como lhe chama o Papa Francisco: Deus habita também no mundo e quer ser habitado por cada pessoa que há no mundo. Por isso, procuremos Deus em Jesus, e acolhamos Jesus em cada ser humano.
Em Jesus, Deus vem ligar o que está desligado. Constatamos que por vezes perdemos os «laços» que nos ligam uns aos outros. Se deixarmos, o individualismo toma de tal maneira conta de nós, que nem nos apercebemos de como estamos aprisionados em nós mesmos. O mistério do Natal é, pois, um convite de abertura total a Deus e à humanidade. É esta abertura que configura a nossa libertação e a nossa felicidade.
Com tantas actividades e ocupações, o nosso olhar torna-se inevitavelmente disperso. Não nos centramos no que verdadeiramente importa. Frequentemente nem no Natal conseguimos parar. Somos pois convidados, neste tempo, a parar e a olhar serenamente para Jesus na Sua imagem de encanto e ternura no presépio, e na Sua presença real na Eucaristia; a reencontrarmos a beleza da nossa vocação e a humanizarmos os nossos ambientes com a força que nos vem do Evangelho.
É a Jesus que pertencemos desde o Baptismo. Estamos n’Ele enxertados para por Ele sermos transformados. Façamos do Natal um acontecimento gerador de paz, pois na manjedoura nasceu a paz duradoura. É essa paz que somos chamados a semear na nossa vida e na humanidade. Deixemo-nos envolver por este mistério Santo que nos transfigura e revela a beleza do Amor, pelo qual somos amados.
Não foi para o mundo ficar igual que Deus se fez Natal. É para que tudo seja diferente que Deus revela um amor omnipotente: um amor que é capaz de Se fazer o que nós somos para que nós nos deixemos tocar pelo que Ele é. Sejamos discípulos deste Menino que muda a nossa vida e guardemos a Sua divina Palavra em nosso coração para a testemunhar no dia a dia. Como Maria, que deu Cristo à luz na sua carne, que nós demos Cristo à luz na nossa vida: com o nosso testemunho, com a nossa disponibilidade missionária para acolher, procurar e abraçar.
Discípulos e missionários do Natal, levemos aos mais desprotegidos e abandonados «o Menino que nasceu, o Filho que nos foi dado» (Is 9, 6). Que o melhor presente seja a nossa presença e a transfiguração de Cristo na vida de cada irmão!
Que neste Natal nos encontremos com Cristo e O saibamos ver em quem sofre. Que O encontremos nos mais frágeis e sós e lhes levemos o Sim fraterno do Amor que Deus lhes dedica. Que a nossa criatividade pessoal e a criatividade das nossas comunidades cristãs vençam a rotina ou a inércia e percorram caminhos novos de encontros humanizadores.
Natal é tempo propício e favorável a gestos comprometidos com a esperança e empreendedores de humanidade. Que cada comunidade cristã seja lugar de encontro com Cristo, seja presépio e Natal.
Que os valores supremos da vida humana, desde o seu primeiro instante até à morte natural, dignificada, devidamente assistida e acompanhada; que o valor da família, património imaterial da humanidade e berço natural da vida e que os valores inegociáveis de cada pessoa humana centrem a sociedade na vivência da solidariedade fraterna e sejam compromissos para cada um de nós neste Natal.
2. Saudação
Saúdo e desejo Santo Natal aos nossos estimados Presbíteros, Diáconos, Consagrados e alunos dos Seminários! Para cada um deles o reconhecimento da Igreja Diocesana!
Saúdo e desejo Santo Natal às queridas famílias, aos casais em vivência matrimonial, seus idosos, doentes, pessoas com deficiência, jovens, adolescentes e crianças. Que no centro de cada família esteja presente a manjedoura onde Cristo nasce, vive e cresce e que a riqueza humana de cada família seja presépio onde acontece o acolhimento que Maria e José não encontraram em Belém!Saúdo e desejo Santo Natal a todas as pessoas de boa vontade que com esforço e dedicação tudo fazem para a edificação de uma sociedade mais justa, fraterna e pacífica!
Saúdo com especial gratidão e desejo Santo Natal a todos os que vão trabalhar para o bem comum na Noite de Consoada e no Dia de Natal!
Saúdo e desejo Santo Natal aos serviços de saúde que servem as nossas populações, bem como às Santas Casas da Misericórdia, aos Centros Sociais, às Escolas, aos Serviços de Segurança Social, aos Soldados da Paz, às Forças Armadas, de Segurança e Proteção Civil, aos Tribunais e demais Serviços de Justiça, aos Estabelecimentos Prisionais, a todos os Meios de Comunicação Social ao serviço da nossa região, a todos os refugiados e imigrados no nosso país e a viverem agora connosco, bem como àqueles que connosco viviam e agora experimentam a contingência da emigração.
Por todos ergo a minha oração e a todos desejo Santo e Feliz Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo.
+ Francisco José, Arcebispo de Évora